Cidades Invisíveis

“Chico Mazzoni vem desafiando a pressa do tumultuado tempo presente com a qualidade excepcional da sua pintura realista. A intuitiva integração natural do artista com o olhar de hoje o levou a criar a trama dessa fase atual da sua arte. Trabalhadas na sua nova técnica, as Cidades Invisíveis de Mazzoni reluzem como jóias contemporâneas.

No seu desenho ágil, Chico reproduz o visual das cidades, com as densas linhas da tinta dimensional saindo diretamente do tubo, sobre a tela, e sem medir esforço e tempo, ele cria sensível teia com pequenos traços e linhas transparentes e translúcidas sobre o resultado final. Desse modo, Mazzoni passa ao espectador as impressões e sentimentos que cada cidade lhe desperta, ao tempo em que assegura a aparência absolutamente atual e singular da sua arte figurativa.

Não precisamos ler nomes para reconhecer a verticalidade de New York, oposta às torres e cúpulas no horizonte de Salvador, que tem também o seu africanismo expresso noutra versão. Algumas cidades são monocromáticas: Gotham City, trabalhada com a tinta negra, sobre a tela negra, exibe efeitos surpreendentes a cada reflexo de luz.

Com a nova trama dos traços, o artista tanto abranda a vivacidade explícita das cores, conferindo-lhes um certo mistério, como pode exaltar o realismo: as gotas caindo sobre paredes e tetos da cidade sob a chuva nos passam até a sensação de frio e do visual embaçado.

Na irrepreensível configuração do artista/arquiteto, o urbanismo mostra também suas artérias, com múltiplos e providenciais viadutos – infelizmente fictícios – por onde flui o trânsito.

Muito especiais são os trabalhos de Mazzoni que fogem da interpretação figurativa para expressar apenas ângulos, cortes e perspectivas, num particular jogo de espelhos, que seduz o olhar.

A feição nova e atraente que Chico Mazzoni imprime ao seu realismo figurativo, exaltado na qualidade excepcional dos trabalhos dessa fase, é preciosa lição aos artistas que fogem da pintura com medo do dejá vù”.

Matilde Matos • (ABCA e AICA)

cidades-invisiveis (24) cidades-invisiveis (25) cidades-invisiveis (26) cidades-invisiveis (27) cidades-invisiveis (28) cidades-invisiveis (29) cidades-invisiveis (30) cidades-invisiveis (31) cidades-invisiveis (32) cidades-invisiveis (33) cidades-invisiveis (34) cidades-invisiveis (35) cidades-invisiveis (36) cidades-invisiveis (37) cidades-invisiveis (38) cidades-invisiveis (39) cidades-invisiveis (40) cidades-invisiveis (41) cidades-invisiveis (42) cidades-invisiveis (43) cidades-invisiveis (44) cidades-invisiveis (45) cidades-invisiveis (46) cidades-invisiveis (47)

Compartilhe Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+